2 dicas para praticar a sustentabilidade na agricultura

sustentabilidade na agricultura se tornou um dos aspectos mais importantes da produção agrícola nos últimos tempos. Com o crescimento da população mundial, a necessidade de maiores produções de alimentos tem sido cada vez maior. No entanto, muitos produtores têm deixado de lado práticas essenciais para a produção sustentável de alimentos com o objetivo de maximizar os ganhos econômicos.

Como temos discutido em diversos textos, a ideia errônea de que para produzir alimentos com sustentabilidade e proteger o meio ambiente o agricultor deve deixar os ganhos econômicos de lado, tem sido comum mesmo atualmente.

sustentabilidade na agricultura consiste na principal estratégia para promover incrementos significativos na produtividade das culturas, economia na aplicação de pesticidas e maior segurança financeira para o produtor. A seguir, apresentaremos algumas dicas para promover a agricultura de conservação, proporcionando maior produtividade, além da conservação do solo e do meio ambiente.

 

Mantenha o solo sem revolvimentos

A ausência de revolvimento do solo é um dos princípios básicos da agricultura conservacionista defendido pela FAO. Como discutimos no artigo “Sistema plantio direto, duas coisas que você está fazendo de errado” o revolvimento ocasional do solo tem sido um dos erros mais recorrentes cometidos por produtores rurais em suas áreas de “plantio direto”. A manutenção e o aumento dos estoques de carbono do solo só são possíveis se as adições provenientes dos resíduos culturais forem maiores do que as perdas por oxidação. Ao revólver o solo através de operações de aração e gradagem, ou até mesmo de escarificação, a estrutura do solo acaba sendo danificada, expondo o C previamente protegido no interior de agregados a processos de decomposição. No Brasil, o clima tropical acaba favorecendo ainda mais os processos de intemperismo e decomposição da matéria orgânica. Dessa forma, o revolvimento do solo é altamente prejudicial para a sustentabilidade na agricultura, uma vez que uma única operação de aração é suficiente para se perder o C acumulado durante um longo período de tempo.

 

Cobertura do solo e rotação de culturas, o feijão com arroz do plantio direto

A manutenção dos resíduos culturais sobre a superfície do solo é um dos princípios básicos do sistema plantio direto mais importantes para a sustentabilidade na agricultura, bem como a rotação de culturas. A palhada na superfície confere ao solo uma série de benefícios como proteção principalmente contra o impacto de gotas de chuva e grandes amplitudes térmicas. Além disso, o aporte de resíduos culturais consiste na principal entrada de C no solo em sistemas agrícolas. Porém, como pudemos ver no artigo “Como criar um bom sistema plantio direto?”, a quantidade não é o único fator que importa.

A alternância entre espécies com alta e baixa relação C/N através da rotação de culturas proporciona a dinâmica ideal para a ciclagem de matéria orgânica no sistema, contribuindo para a melhoria de diversos aspectos da qualidade do solo.

 

Conhecimento para proporcionar a sustentabilidade na agricultura

O conhecimento sobre a dinâmica da matéria orgânica e a fertilidade do solo consistem em aspectos fundamentais para promover e aplicar corretamente as técnicas de sustentabilidade na agricultura. Dessa forma, a participação dos profissionais das Ciências Agrárias se torna cada vez mais fundamental para o desenvolvimento conservacionista das atividades agropecuárias.