3 técnicas de preparo do solo para plantio

O preparo do solo para o plantio foi uma técnica muito utilizada no início da agricultura no Brasil. Baseado nos sistemas de plantio de países de clima temperado, o revolvimento do solo causa uma série de efeitos prejudiciais para a qualidade do solo, principalmente devido a destruição dos agregados do solo, expondo o carbono previamente protegido à processos de decomposição.

A seguir, falaremos um pouco sobre as principais técnicas de preparo do solo para plantio, que infelizmente ainda são muito utilizadas em diversas áreas agrícolas pelo Brasil.

 

  1. Aração

A aração do solo consiste em uma técnica de preparo do solo para plantio que se baseia na inversão de camadas do solo. Normalmente realizada na profundidade de 20 cm, a aração revolve o solo aumentando os níveis de oxidação da matéria orgânica e rompendo a estrutura do solo.

Embora seja uma prática comum em regiões de clima temperado, a aração do solo em climas mais propícios ao intemperismo, como no Brasil, acaba por ser muito mais prejudicial à saúde do solo. Trabalhos demonstram que enquanto em clima temperado, sistemas de plantio convencional reduzem os estoques de C pela metade em aproximadamente 50 anos, perdas nessas proporções em ambiente tropical pode ocorrer em apenas 5 anos.

 

  1. Gradagem

A gradagem do solo é uma prática de preparo do solo para plantio realizada normalmente após as operações de aração. Por realizar o revolvimento e a inversão de camadas, o arado acaba por deixar o terreno irregular e desnivelado. Através da operação de gradagem, os grandes torrões deixados pela aração acabam sendo rompidos, deixando o solo plano.

Há décadas atrás, dizia-se que o solo ideal para o plantio deveria ter a consistência de um pó de café, bastante solto. Atualmente com a introdução das técnicas do sistema plantio direto, as operações de aração e gradagem foram diminuindo gradativamente. No entanto, ainda hoje muitos agricultores continuam revolvendo seus solos de tempos em tempos, muitas vezes sem necessidade, sendo esse um dos erros mais comuns cometidos no sistema plantio direto.

 

  1. Escarificação

A escarificação consiste em uma técnica de preparo do solo para plantio menos agressiva para sua estrutura. Através do uso do chamado escarificador mecânico, a operação rompe camadas do solo sem realizar seu revolvimento ou inversão.

Muito utilizado em clima temperado no chamado sistema de preparo mínimo do solo, a escarificação tem sido uma alternativa para reduzir os efeitos prejudiciais da aração e gradagem. Porém, como já discutido, em clima tropical e subtropical, a prática também acaba por causar a degradação do C do solo, uma vez que as condições para decomposição são mais agressivas.

 

O quão prejudicial são as técnicas de preparo do solo para plantio?

O revolvimento do solo pode trazer danos não somente à qualidade do solo e produtividade das culturas como também para o meio ambiente. No artigo “Agricultura brasileira e o aquecimento global”, nós explicamos um pouco mais sobre como o manejo do solo pode influenciar de forma positiva e negativa o aquecimento global.

O estudo da gestão da matéria orgânica do solo pode ser uma excelente alternativa para entender melhor sobre o quão prejudicial as operações de distúrbio do solo são para sua qualidade.